Clarim - Livro
Logo
Araxá / MG - , -
Clarim no WhatsApp (34) 98893-8381
Menu
EDITORIAL - Conhecer, utilizar, se apropriar
06/04/2017, às 07:11:43

O projeto em andamento para que diversos segmentos da comunidade visitem as principais obras em execução pela administração municipal é importante para que este conhecimento tenha efeito multiplicador. A cidade cresceu muito e, junto com ela, várias demandas. Mas quem tem o hábito de fazer quase sempre os mesmos percursos - para a casa, a escola, o trabalho - não sabe mensurar o necessário alcance da gestão pública municipal. E a opinião pública é fundamental para o sucesso de um governo, como uma corrente que imprime uma força positiva ou negativa no desenvolvimento das ações. Apesar de todos os recursos de mídia existentes hoje, o contato real é convincente, gera crédito imediato, respalda qualquer avaliação de governo.

Um buraco na rua que o cidadão sempre utiliza vai afetá-lo negativamente, embora muitas outras vias da cidade já estejam recapeadas. Numa região que falta creches e escolas para atender a população do entorno, a insatisfação com o governo municipal é grande; enquanto em outra que tem estes equipamentos o inverso. Apesar do impacto das grandes obras que abrangem praticamente toda a população, a tendência das pessoas é se pautarem pelo que está mais próximo delas no dia a dia. Por isso, sem desmerecer a importância das grandes obras, se não for feito o básico, a população não se sentirá atendida.

Então, o ideal é intercalar as grandes obras que geralmente ultrapassam governos, com as essenciais muitas vezes até menores, inclusive para não haver solução de continuidade. Porém, não basta concluir as obras e entregá-las à comunidade sem viabilizar o seu uso. O que se constitui num erro comum da classe política que em casos mais graves até posterga a conclusão de uma obra para que ocorra mais próxima ao período eleitoral, de forma a pesar na decisão do eleitor. Acontece que passado o pleito, tudo que não estiver muito bem destinado corre o risco de ser depredado pela própria população.

Daí, é fundamental que toda obra seja realmente útil, cumpra o objetivo para o qual foi programada. Se a população valoriza o que lhe serve bem, evita o que temos visto frequentemente em Araxá, ou seja, a necessidade de reformar os mesmos ginásios, praças e outros equipamentos públicos a cada gestão. Além da construção e da utilização pela comunidade, também é fundamental a devida manutenção por parte do poder público. O exemplo de cuidado parte do próprio município, para que o que foi feito não caia no desuso e seja depredado. É o que tem acontecido com o patrimônio histórico cultural do município e mesmo com importantes equipamentos públicos que estão à mercê das intempéries e, consequentemente, da depredação, do vandalismo.

Com a visitação, a imprensa constatou que o prefeito Aracely de Paula tem seguido à risca a necessidade de intercalar as grandes obras com as básicas e fundamentais, em todos os setores da cidade. Boa parte com previsão de conclusão até meados deste ano e, outras, já em licitação para serem iniciadas. Como ele está no início deste mandato, agora tem tempo suficiente para promover a devida utilização de tudo que está sendo muito bem construído, como a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), o Parque do Cristo e mesmo o canil municipal. Cada qual na sua área, com potenciais para quebrar paradigmas.

A UPA permite implementar um novo conceito de atendimento de urgência e emergência no município, o conforto da construção, a iluminação natural, a ventilação, a amplitude das áreas, a qualidade do acabamento em 1,7 mil m² de área construída com capacidade para até 700 atendimentos por dia. O Parque do Cristo depois de mais de trinta anos da sua abertura nunca esteve tão novo, modernizado, realmente integrado ao ambiente urbano como que convidando a população a entrar, com áreas adequadas de recepção, restaurante/lanchonete, quiosques para a venda de artesanato, pista de caminhada, uma vista incrível da cidade e do céu. A concepção do canil municipal é para proporcionar um tratamento digno aos animais, completamente diverso daquele que existiu um dia e, bem à vista da população, mas com o mínimo de impacto possível na vizinhança. Se esses três grandes equipamentos públicos funcionarem como se propõem, aliados às creches, escolas, ginásios, posto policial, centro de convivência que estão contemplando os vários setores da cidade, a administração municipal cumprirá bem a missão e espalhará otimismo em relação ao que virá pela frente.


Clarim
Radix Comunicação e Tecnologia